Dirigentes denunciam pressão por PDV em reunião de teletrabalho do Banrisul

Debates sobre construção de acordo coletivo para regular home office terão reuniões todas as terças-feiras, a partir de 13/10

Denúncias de pressão, ameaças e até promessas de transferências para locais de trabalho distantes passaram a fazer parte do Plano de Demissão Voluntário (PDV) do Banrisul. Ao menos, foram essas preocupações que dirigentes de Sindicatos do Interior, do SindBancários e da Fetrafi-RS, levaram como denúncias aos representantes do Banrisul na reunião sobre teletrabalho da terça-feira, 6/10.

Além de levarem três casos concretos de assédio direto para adesão ao PDV, os dirigentes fizeram um pedido aos representantes do banco. Há alguns casos de colegas elegíveis e com interesse de aderir ao PDV que hesitam por conta de um detalhe. Trata-se de uma interpretação da Cláusula 16 da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT).

Esta regulamentação trata da 13ª Cesta Alimentação. Colegas do Banrisul questionam os dirigentes sobre o não recebimento de valores da 13ª Cesta Alimentação pela possibilidade de não estarem mais ligados ao banco na data de pagamento, o dia 30 de novembro próximo.

A cláusula diz o seguinte:

CLÁUSULA 16 – DÉCIMA TERCEIRA CESTA ALIMENTAÇÃO

Os bancos concederão, até o dia 30.11.2020, aos empregados que, na data da sua concessão, estiverem no efetivo exercício de suas atividades, a décima terceira cesta alimentação.

Os dirigentes foram diretos. Solicitaram ao banco a interpretação da cláusula como a possibilidade de antecipar o pagamento da 13ª Cesta Alimentação para que o colega interessado e elegível possa ter acesso ao benefício assim que optar pelo PDV. O termo “até 30.11.2020”, na visão dos dirigentes, suscita a possibilidade de antecipação do pagamento.

“Abrir espaço para mais jovens”

Os dirigentes foram veementes quanto às atitudes de, ao menos, três gestores que atuam no Interior do Estado. Um deles chegou a convocar reunião com comissionados e a mentir sobre as regras do PDV. Ele teria dito que o PDV era para todo mundo e que estava na hora dos mais velhos saírem para abrir espaços para os jovens.

“A primeira premissa e que fez com que aceitássemos negociar foi a manutenção do caráter voluntário do PDV. Infelizmente, estamos tendo problemas. Não estão cumprindo parte do acordo que é não fazer pressão para que as pessoas façam sua adesão”, lamentou a diretora da Fetrafi-RS, Denise Falkenberg Corrêa.

Os representantes do Banrisul asseguraram que não há nenhuma orientação de diretoria sobre exercer pressão em colegas elegíveis ou não para aderir ao PDV. Comprometeram-se a conversar diretamente com os gestores nas praças onde há relatos de problemas.

Também darão uma resposta sobre a questão da inclusão da 13ª Cesta Alimentação para aqueles que deixarem o banco antes de 30 de novembro.

Lembrando que o período de inscrições para o PDV Banrisul começou em 1º/10 e vai até 15/10. Os desligamentos ocorrerão a partir do dia 16/10 e vão até 16 de dezembro, com exceção do pessoal de TI, cujo período de desligamento é de até dois anos.

Debate qualificado sobre teletrabalho

Depois que as denúncias sobre pressão para adesão ao PDV foram feitas, o debate sobre teletrabalho se iniciou. Os dirigentes pediram a palavra para dizer que precisavam de mais tempo para estudar melhor as questões que envolvem o home office e para debater junto ao Comando Nacional dos Banrisulenses. Nesta quarta, 7/10, eles vão participar de um seminário nacional promovido pela CUT.

Uma reunião do Comando também está marcada para esta semana ainda. Os debates desta terça-feira giraram em torno da questão dos equipamentos de informática e da cadeira. Houve debates sobre a propriedade dos equipamentos, e os dirigentes voltaram a levantar questões relacionadas à segurança na rede, privacidade de quem está em home office e uma preocupação sobre o retorno das LER/DORT, doenças por esforço repetitivo e por condições precários e sem ergonomia de instrumentos de trabalho.

Os representantes do banco fizeram leitura de parte do Acordo Coletivo específico para teletrabalho do Bradesco. Os dirigentes deixaram claro que é preciso pensar em premissas para teletrabalho a partir da especificidade da cultura do Banrisul.

No final, houve um acordo: foi formado o consenso de que é preciso mais reuniões. A partir da próxima terça-feira, 13/10, os debates sobre teletrabalho ocorrerão todas as terças-feiras, a partir das 13h30.

Participaram também da reunião como representantes dos Banrisulenses: Luciano Fetzner (presidente do SindBancários), A diretora do SEEB Lajeado, Ana Maria da Silva, a diretora da Fetrafi-RS, Ana Maria Betim Furquim, o presidente do Sintrafi Florianópolis, Cleberson Pacheco Eichholz, o diretor da Fetrafi-RS e do SEEB São Sebastião do Caí, Gerson Kunrath, o diretor da Fetrafi-RS, Fábio Alves, e o assessor jurídico da Fetrafi-RS, Milton Fagundes.

Representaram o Banrisul na reunião da terça-feira sobre teletrabalho: o negociador Fernando Perez, superintendente de RH, Gaspar Saikoski, e os assessores jurídicos Paulo Henrique Pinto, Douglas Bernhard e Raí Mello.

Fonte: Imprensa SindBancários

COMENTÁRIOS

Enviar

ENVIAR COMENTÁRIO

Para enviar um comentário você deve se registrar. Para isso use sua conta do Facebook.

ENTRAR COM FACEBOOK

ou se preferir use seu email pessoal

Esqueceu sua senha?

Enviar