Bancários e financiários do Santander e da Aymoré aprovam ACTs

Os documentos estabelecem o regime de banco de horas negativas e do PPRS

Os bancários e financiários do banco Santander e da Aymoré Financeira de todo o país aprovaram, por ampla, em assembleias realizadas nesta quinta-feira (3) os acordos coletivos do banco de horas negativas do período da pandemia de Covid-19 e os aditivos do Programa de Participação nos Resultados Santander (PPRS), tanto o do banco quanto o da financeira.

Com vigência de 1º de abril de 2020 a 31 de dezembro de 2021, o ACT estabelece o regime especial para compensação de horas negativas no período de 12 meses, a partir de janeiro de 2021, foi aprovado por 89% dos votantes.

“O acordo traz tranquilidade para os bancários que tiveram que usar o banco de horas negativas possam fazer a compensação durante todo o ano de 2021 e permite que 10% das horas negativas não precisem ser compensadas”, explicou o secretário de Assuntos Socioeconômicos e representante da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) na mesa de negociações com o banco, Mario Raia.

Já o acordo que permite que o Santander antecipe para 30 de setembro o pagamento da regra integral da PLR foi aprovado por 97% dos votantes.

No dia 30 os bancários receberão a parcela referente à regra básica da PLR: 90% do salário, mais parcela adicional de R$ 2.457,29, mais parcela fixa de 2.457,29 (correspondente ao lucro do primeiro semestre de 2020), com o teto de R$ 13.182,18. Já o pagamento do PPRS, mais a diferença nas parcelas adicionais e fixas correspondente ao lucro do segundo semestre, será feito até 3 de março de 2021.

Fonte: Contraf CUT

COMENTÁRIOS

Enviar

ENVIAR COMENTÁRIO

Para enviar um comentário você deve se registrar. Para isso use sua conta do Facebook.

ENTRAR COM FACEBOOK

ou se preferir use seu email pessoal

Esqueceu sua senha?

Enviar