Bancários vão decidir sobre acordos com o Santander

Funcionários do banco de todo o país poderão votar por sistema eletrônico em assembleia virtual que será realizada nos dias 13 e 14 de maio, das 8h às 18h. Além da renovação do aditivo, trabalhadores deliberam sobre acordo de PPRS e termos de compromisso Banesprev e Cabesp

Bancários do Santander de todo o país vão realizar assembleias nos dias 13 e 14 de maio (quarta e quinta-feira) para deliberar sobre as propostas de renovações do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria; do acordo de Programa Próprio de Resultados Santander (PPRS) e dos termos de compromisso Banesprev e Cabesp.

“Na atual conjuntura, é uma grande vitória a renovação dos acordos, que preveem conquistas além das que estão na CCT (Convenção Coletiva de Trabalho)”, avaliou a presidenta da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), Juvandia Moreira, que é uma das coordenadoras do Comando Nacional dos Bancários, que indica a aprovação dos acordos.

O sistema estará liberado para votação dos bancários do Santander a partir das 8h de quarta-feira (13). A votação será permitida até às 18h de quinta-feira (14). Basta que os bancários do Santander acessem o sistema de votação pelo link que será divulgado pelo seu sindicato.

Representante da Contraf-CUT na mesa de negociações com o banco, o secretário de Assuntos Socioeconômicos da Contraf-CUT, Mario Raia, explica que as reivindicações partiam da manutenção dos direitos previstos no atual acordo. “Isso nós já conseguimos, com melhorias no programa de auxílio à educação. E ainda vamos continuar a discutir no CRT (Comitê de Relações Trabalhistas) sobre outras reivindicações como, por exemplo, a isenção de tarifas para funcionários”, explicou.

Mario explicou ainda que, um dos anexos ao acordo aditivo, determina que, em até 30 dias após a assinatura da CCT, as partes voltam a se reunir para ratificar, ou alterar as condições estabelecidas, se for necessário, caso haja alguma questão tratada de forma distinta da que for estabelecida na CCT, prevalecendo o que for mais benéfico ao trabalhador.

“Ou seja, aprovando o acordo agora, os funcionários do banco garantem todos os direitos atuais, com algumas melhorias. Isso é importante, num momento em que muitos direitos dos trabalhadores estão sendo cortados. Se houver algum avanço na negociação da CCT, haverá a incorporação automática, pois prevalecerá o que for melhor para os funcionários”, completou.

Votação eletrônica

Em decorrência da pandemia causada pelo novo coronavírus, para se evitar aglomerações, as assembleias serão virtuais, com votação eletrônica. O sistema, já utilizado em assembleias de outros sindicatos, foi disponibilizado pela Contraf-CUT para permitir a deliberação de bancários sindicalizados, ou não, de toda a base sindical. Basta a confirmação da identidade por meio de dados pessoais e de registro funcional.

“É um sistema seguro, todo criptografado, que evita fraudes, garante o sigilo das informações e permitirá a votação por todos os funcionários sem que os mesmos sejam expostos ao risco de contágio pelo novo coronavírus nas aglomerações que ocorrem nas assembleias presenciais realizadas normalmente. Assegurando o direito democrático de cada um opinar sobre o acordo e respeitando a decisão da maioria”, explicou Juvandia.

No sistema, os bancários terão acesso à integra do acordo e cada sindicato pode inserir um vídeo para explicação da proposta, no intuito de auxiliar na decisão do trabalhador.

COMENTÁRIOS

Enviar

ENVIAR COMENTÁRIO

Para enviar um comentário você deve se registrar. Para isso use sua conta do Facebook.

ENTRAR COM FACEBOOK

ou se preferir use seu email pessoal

Esqueceu sua senha?

Enviar