Simulação do Itaú sobre mortes pela Covid e PIB causa indignação nas redes sociais

Número de falecimento de brasileiros por coronavírus são tratados como dados econômicos frios pelo banco

Vem causando indignação nas redes sociais a simulação feita pelo Itaú, relacionando o impacto das mortes causadas pela pandemia do novo coronavírus no Brasil sobre o Produto Interno Bruto (PIB). Estudo do banco, publicado pelo jornal Valor Econômico e pela Revista Carta Maior, estima que se o país detiver a letalidade do vírus a 400 mortes por dia, o PIB crescerá 0,2% no segundo trimestre de 2021. Numa segunda hipótese, sem vacinação adequada, e com 600 mortes diárias, o PIB cairia para 1,2% no primeiro trimestre de 2021.

Comentários feitos no twiter da revista (https://twitter.com/cartamaior/status/1343540636994170881), criticaram o estudo. Uma das pessoas afirmou: “Somos só números, CPF, número de matrícula funcional, estatísticas”. Outra classificou os dados como “absurdos.

Frieza

O estudo frio do banco contrasta com o sofrimento de milhões de famílias brasileiras atingidas pela doença. O país registrou 1.075 mortes pela covid-19 nas 24 horas anteriores ao último balanço, às 20h desta terça-feira (29/12), chegando ao total de 192.716 óbitos desde o começo da pandemia. Foi o maior número de óbitos registrados em um só dia desde 15 de setembro. Com isso, a média móvel de mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 633.
Mas os banqueiros não têm motivos para fazer contas frias sobre mortes e PIB. O sistema financeiro segue sendo o setor mais lucrativo do país. Mesmo com a pandemia o lucro dos bancos deve se manter num patamar muito elevado ao final de 2020, atingindo o montante fantástico de R$ 85 bilhões, conforme estimativa do Banco Central. Segundo o diretor de Fiscalização do BC, Paulo Souza o lucro menor é motivado pelo aumento das reservas que fizeram para cobrir eventuais calotes dos clientes. Se confirmado, o número mostrará uma redução de 35% em relação ao lucro recorde absurdo de 2019: R$ 118, 7 bilhões.

Fontes: Jornal Valor Econômico e Revista Carta Maior. Edição: Imprensa SindBancários. Ilustração: Carta Maior

COMENTÁRIOS

Enviar

ENVIAR COMENTÁRIO

Para enviar um comentário você deve se registrar. Para isso use sua conta do Facebook.

ENTRAR COM FACEBOOK

ou se preferir use seu email pessoal

Esqueceu sua senha?

Enviar