Liminar impede remoções compulsórias no BB

Em ação promovida pela assessoria jurídica do Seeb, a Justiça do Trabalho  deferiu tutela de urgência determinando  ao BB que se abstenha  de proceder remoções/transferências compulsórias de escriturários ou caixas, da base do sindicato, para unidades fora do município de origem da atual lotação  dos empregados. sob pena de multa diária por trabalhador. 

A política de remoções compulsórias que a direção do BB adota em relação aos seus funcionários está prejudicando a vida do funcionalismo desde 14 de outubro do corrente ano, quando ocorreram as primeiras transferências. A Diretoria do SEEB vem tentando minimizar as conseqüências com diversos atos e manifestações em defesa dos bancários (acesse aqui a matéria anterior).

Mesmo com todas as medidas, inclusive com denúncia no Ministério Público do Trabalho – MPT-SC, o BB decide, às vésperas do Natal, “presentear” alguns colegas com remoções para municípios fora do estado. Este fato foi a gota d’água para que se adotasse a medida judicial como última forma de reverter a enorme insensatez que representa uma remoção compulsória.

O SEEB esclarece que as remoções por interesse do funcionário via SAC R estão preservadas e não devem ser afetadas pela liminar.

A ação nº 0000960-89.2019.5.12.0014 será julgada na 2ª Vara do Trabalho em Florianópolis, sendo a audiência marcada para o dia 10 de fevereiro de 2020. Entretanto, por tratar-se de decisão liminar, a luta para garantir os direitos dos trabalhadores do BB continua.

COMENTÁRIOS

Enviar

ENVIAR COMENTÁRIO

Para enviar um comentário você deve se registrar. Para isso use sua conta do Facebook.

ENTRAR COM FACEBOOK

ou se preferir use seu email pessoal

Esqueceu sua senha?

Enviar