Reação dos bancos não acompanha a evolução da pandemia

Confira a seguir um resumo das ações do Sindicato, que tem destacado que a autoridade diante da pandemia não é de ordem burocrática, como querem os banqueiros. A autoridade diante da crise é a dos profissionais e técnicos da área de saúde, cujo compromisso é a vida de todos. Assim têm se comportado governos responsáveis.

No dia 12 de março o Comando Nacional dos Bancários envia um ofício à Fenaban cobrando negociação com os bancos e a adoção de procedimentos visando a proteção da saúde da categoria. https://contrafcut.com.br/noticias/comando-nacional-dos-bancarios-solicita-informacoesa-fenaban-sobre-coronavirus/

No dia 16 de março, o Comando Nacional dos Bancários e a Fenaban criam um Comitê de Crise para tratar de medidas a serem adotadas pelos bancos, de acordo com a evolução da pandemia e as orientações das autoridades de saúde.

https://www.seebfloripa.org.br/saude-e-seguranca/coronavirus-comando-nacional-criacomite-de-crise-com-bancos/

Ainda no dia 16, antes da edição do decreto do governador do estado, a direção do sindicato passa a adotar medidas de prevenção no atendimento aos bancários na sede do Sindicato.

Sindicato adota medidas protetivas visando diminuir propagação do Covid-19

No dia 17 de março, o Governo do SC decreta situação de emergência e anuncia medidas restritivas para conter a contaminação pelo novo coronavírus.

https://www.seebfloripa.org.br/saude-e-seguranca/sindicato-recomenda-cumprimento-do-decretodo-governador/

https://www.seebfloripa.org.br/movimento-sindical-e-social/e-a-hora-de-mostrar-que-a-vida-valemais-do-que-o-dinheiro/

Por força do Decreto do Governo do Estado e pela ação da Polícia Militar, diversas agências bancárias são impedidas de abrir, na medida em que os bancários são pressionados pelos gestores a comparecerem aos locais de trabalho, em descumprimento às determinações das autoridades sanitárias. No dia 19, o Sindicato publica nota na NSC TV exigindo dos bancos o cumprimento das determinações do Governo de SC. https://www.seebfloripa.org.br/geral/acompanhe-na-nsc-comunicado-do-sindicato/

O Sindicato aciona o Ministério Público do Trabalho (que abre denúncia formal contra os bancos) e ingressa com diversas ações na Justiça do Trabalho com o objetivo de fazer valer as medidas restritivas. https://www.seebfloripa.org.br/geral/sindicato-obtem-liminares-impedindo-abertura-das-agencias-eexposicao-da-categoria/

No dia 20 de março, decisão do Juízo da 2ª Vara do Trabalho de Florianópolis determina que a CEF se abstenha de exigir o comparecimento pessoal dos seus empregados na base territorial do Sintrafi, autorizando o comparecimento de 1 (um) trabalhador para assegurar o atendimento pelos caixas eletrônicos. Decisão similar ocorre em relação ao Santander. Até o momento, as ações contra os demais bancos aguardam decisão. Ainda no dia 20, a Presidência da República publica o Decreto nº 10.282, regulamentando os serviços essenciais, entre eles “a compensação bancária, redes de cartões, caixas eletrônicos e outros serviços não presenciais de instituições financeiras.”

Nesta segunda, dia 23, o Juízo da 2ª Vara reconsidera a decisão em relação à CEF, autorizando a convocação de 30% dos empregados para manutenção dos serviços essenciais à população. Ainda no dia 23, o Presidente da República alheio às reais prioridades neste momento de grave crise, edita Medida Provisória (MP) 927/2020 que permite às empresas suspender o contrato de trabalho de seus funcionários por até quatro meses, sem remuneração. Obviamente, após pressão da sociedade, revoga o artigo que trata dessa permissão.

https://www.seebfloripa.org.br/movimento-sindical-e-social/mp-927-de-bolsonaro-leva-panico-aostrabalhadores/

Também nesta segunda-feira, o Comando Nacional voltou a se reunir com os representantes dos bancos por videoconferência. Além de não apresentarem respostas objetivas quanto às ações que, de fato, coloquem a vida das pessoas em primeiro lugar, os bancos por seu representante ameaçou os trabalhadores de desconto nos salários e questionou os Sindicatos em razão das ações na Justiça do Trabalho. Ficou agendada nova reunião com os bancos para esta terça-feira, durante a tarde. Espera-se mais agilidade na adoção de medidas que realmente protejam os trabalhadores e sociedade dos riscos da pandemia. https://www.seebfloripa.org.br/bancos/medidas-dos-bancos-ainda-sao-aquem-da-gravidade-dasituacao/

https://www.seebfloripa.org.br/juridico/bancos-nao-cumprem-determinacao-das-autoridades-equestionam-acao-na-justica-do-trabalho/

COMENTÁRIOS

Enviar

ENVIAR COMENTÁRIO

Para enviar um comentário você deve se registrar. Para isso use sua conta do Facebook.

ENTRAR COM FACEBOOK

ou se preferir use seu email pessoal

Esqueceu sua senha?

Enviar