MP 905: SOB ENCOMENDA DOS BANQUEIROS

Não se pode dizer que a categoria bancária tenha se surpreendido com os termos da Medida Provisória 905, editada pelo governo Bolsonaro com o objetivo de atender aos interesses do mercado, retirando direitos e garantindo maior lucratividade aos patrões.

Também não é surpresa que, como é da natureza deste governo, a MP tenha sido construída por encomenda dos banqueiros, sem qualquer discussão com as representações dos trabalhadores, os principais alvos dos ataques do Ministério de Paulo Guedes.

Durante a última campanha eleitoral, o Sindicato, a Contraf e a CUT realizaram uma série de debates e publicações onde alertavam os trabalhadores para os riscos do projeto Bolsonaro/Guedes, que representava os interesses do capital financeiro e nenhum compromisso com a Soberania Nacional.  

TRABALHO AOS SÁBADOS E A JORNADA DOS BANCÁRIOS

Como fora tentado quando da discussão da fracassada MP 881, são promovidas alterações na CLT e demais normas correlatas para ampliar e flexibilizar o trabalho aos finais de semana, permitindo ainda o não pagamento da hora dobrada em caso de trabalho aos domingos, desde que haja a compensação em outro dia.

O Ministério Público do Trabalho (MPT) já se manifestou em nota contra a Medida Provisória 905, que, entre outros pontos, ataca especificamente direitos da categoria bancária, autorizando o trabalho aos finais de semana e feriados, o aumento da jornada e prevê que bancos e empresas possam alterar as regras da PLR sem negociação com os sindicatos. Além do MPT,a Anamatra (Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho) e a ANPT (Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho) também já divulgaram notas de repúdio à MP 905.

CCT: UMA CONQUISTA DA CATEGORIA

Contrariando o compromisso assumido com a categoria ao assinar a Convenção Coletiva de Trabalho – CCT 2018/2020, os bancos ameaçaram, em reunião realizada nesta quinta-feira, implementar imediatamente as medidas da MP 905.

Todos os bancários e bancárias sabem que a nossa Convenção não se trata de mera concessão dos banqueiros, mas sim é o resultado de inúmeras campanhas nacionais, algumas delas encerradas somente após semanas de greves, com a ampla participação e mobilização da categoria.

O momento exige que novamente nos organizemos para enfrentar as medidas do governo, a ganância e o desrespeito dos bancos, cujos balanços têm refletido o esforço e o trabalho dos bancários e bancárias, muitas vezes à custa da nossa saúde e da convivência com nossos familiares e amigos.

AUDIÊNCIA PÚBLICA PELA SOBERANIA E EM DEFESA DAS EMPRESAS PÚBLICAS

Nosso primeiro compromisso em defesa dos nossos direitos será nesta segunda-feira, dia 18, ás 18h00, na Alesc.

Com a presença de diversas categorias de trabalhadores e representantes da sociedade catarinense, iremos debater com os Parlamentares a importância fundamental das empresas e do serviço público para o desenvolvimento da economia regional e nacional.

Compareça e traga seus colegas.

ASSEMBLEIA DIA 20

A hora é de mobilização. E a história mostra que somos capazes de enfrentar mais esse desafio, pois sempre que nos unimos ampliamos e garantimos as nossas conquistas.

O Comando Nacional da categoria já informou aos bancos que não aceitaremos retrocessos e que toda a categoria está sendo chamada para a luta.

No próximo dia 20, O SEEB Florianópolis convoca todos os bancários e bancárias da base do sindicato para uma Assembleia geral, no auditório do Hotel Floph, no centro da cidade, às 18h00, para debater e definir nossa participação no próximo dia 21, Dia Nacional de Luta da categoria.

COMENTÁRIOS

Enviar

ENVIAR COMENTÁRIO

Para enviar um comentário você deve se registrar. Para isso use sua conta do Facebook.

ENTRAR COM FACEBOOK

ou se preferir use seu email pessoal

Esqueceu sua senha?

Enviar