Coronavírus: Comando Nacional cria comitê de crise com bancos

Trabalho em casa para todas as áreas possíveis, principalmente para bancários do grupo de risco e gestantes; reforço na limpeza; e atenção especial com a área de autoatendimento estão entre as preocupações dos bancários

Em reunião realizada nesta segunda-feira (16), o Comando Nacional dos Bancários e a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) criaram um comitê de crise para acompanhar as orientações das autoridades de saúde diante da pandemia gerada pelo novo coronavírus (COVID-19) e tratar das medidas a serem tomadas pelos bancos, de acordo com a evolução da epidemia.

A preocupação é garantir a saúde e a segurança dos bancários, principalmente daqueles que fazem parte do chamado grupo de risco e das mulheres em gestação. Outra questão trazida pelo Comando foi o da suspensão das aulas nas escolas e a falta de opção para os cuidados com as crianças.

A presidenta do Sindicato dos Bancários de São Paulo ressaltou ainda que os bancários estão preocupados para saber quais serão os procedimentos que serão adotados pelos bancos.

Outras reivindicações do Comando

O Comando Nacional dos Bancários enviou, na quinta-feira (12), um ofício sugerindo medidas e cobrando negociações da Fenaban sobre os procedimentos a serem adotados pelos bancos em precaução ao novo coronavírus. Entre as medidas cobradas pelo Comando Nacional dos Bancários a ser adotadas pelos bancos, estão:

  • Comunicação preventiva sobre os cuidados a serem tomados por todos, para evitar notícias erradas ou inverídicas;
  • Adoção do teletrabalho e, nos casos em que isso não for possível, a antecipação das férias;
  • Suspensão das demissões;
  • Suspensão da cobrança de metas;
  • Controle de acesso às agências, para que não haja aglomerações;
  • Suspensão temporária das atividades de agências em áreas de risco, como aeroportos e hospitais;
  • Reforço nos procedimentos de limpeza dos locais de trabalho;
  • Transparência das informações com os trabalhadores e os sindicatos;
  • Adoção de quarentena para bancários que voltarem de viagem ao exterior;
  • Retirada dos bancários do serviço no autotendimento;
  • Antecipação da campanha de vacinação da gripe, como forma de facilitar a identificação dos casos de coronavírus.

Alguns procedimentos os bancos já passaram a adotar após o ofício enviado pelo Comando dos Bancários, como a comunicação preventiva; o reforço na limpeza e a adoção da quarentena para aqueles que retornem de viagens ao exterior. Sobre a antecipação da campanha de vacinação, disseram que dependem de tramites com a Receita Federal e a Anvisa, mas que já conseguiram antecipar o início, que seria no dia 22 de abril para o dia 15 de abril, mas que vão tentar negociar com os órgãos para antecipar ainda mais.

Os representantes dos bancos também disseram que existe sensibilidade com as demais reivindicações e as mesmas serão levadas como recomendação para serem adotadas por todos os bancos.

Os sindicatos também foram orientados a comunicar ao Comando casos concretos que possam ser tratados pelo comitê de crise, como bancários que tenham suspeitas de infecção pelo vírus, mas estão sendo obrigados a trabalhar pelo gestor de sua unidade.

Garantia da ultratividade da CCT

Dada a necessidade de suspensão das conferências regionais, estaduais e nacional, além dos congressos e encontros específicos dos trabalhadores de cada banco, para evitar aglomerações e a propagação da doença, o Comando Nacional dos Bancários solicitou a ultratividade dos direitos garantidos na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria, que vence em 31 de agosto de 2020.

A Fenaban vai levar o tema para ser debatido com os bancos e dará resposta ao Comando Nacional assim que possível.

Fonte: CONTRAF-CUT, com edição do SEEB Floripa

COMENTÁRIOS

Enviar

ENVIAR COMENTÁRIO

Para enviar um comentário você deve se registrar. Para isso use sua conta do Facebook.

ENTRAR COM FACEBOOK

ou se preferir use seu email pessoal

Esqueceu sua senha?

Enviar